quarta-feira, 9 de abril de 2008

Mecânica I - Alavancas, planos inclinados e lápis de cor.

Eu não era dos piores em física. Tampouco dos melhores. É que entender que o vetor tal e qual fazia com que aquela bolinha acelerasse ou diminuísse era muito para a cabeça.

Talvez se, junto com minhas aulas, eu tivesse a experiência de poder brincar com o jogo Magic Pen ou algum similar, eu teria aprendido mais facilmente algumas noções básicas. E, talvez, assim, hoje eu demorasse menos de meia hora para passar de cada fase.
Lógico que, para implementar jogos como esses em ambientes educacionais é preciso ponderar que, por trás dele, há um sistema de algoritmos com premissas sobre o valor da gravidade, da força, do atrito, etc. etc. Claro que é tudo convenção e esse tipo de informação deve ser explicitada. Mas, enfim, convenção por convenção, a gravidade não mede necessariamente 9,8 (ou, em alguns casos) 10,0 m/s² (era essa a medida, não?). E isso não impedia ninguém de achar o resultado das questões de vestibular que tínhamos que fazer, incessantemente.

2 comentários:

Alexo Maravalhas disse...

Henrique, verdade. Essa foi meio "tudo ao mesmo tempo agora"!

Interessante a sua abordagem sobre o Magic Pen, quero dizer, sobre o lúdico que eu praticamente sugeri no título da minha postagem (http://benzaitenbrasil.blogspot.com/2008/04/ludico-desenhar.html). Realmente muitos jogos têm essa função educativa e que, para muitos de nós, de geração anterior, quase não tivemos acesso quando criança. E mesmo hoje em dia o equipamento eletrônico instalado na sala de aula é, ainda, de uso limitado. Leve essa idéia para tantos outros temas que vários jogos abordam e que poderiam colaborar com o educacional da criança. (Sem falar nos produtos explicitamente educativos.)

Mais curioso mesmo foi ver a sua tela da fase 5: foi sua solução mesmo ou você "incrementou" para efeito ilustrativo? :)

Gu disse...

Está aí um exemplo de jogo pedagógico e um bom exemplo. MAs o que venho dizendo é que todo jogo ensina alguma coisa. Será que da pra fazer o mesmo com "Portal"? Ou ainda, podemos falar sobre genero e sociedade usando (pelo menos alguns pedacinhos) de duke nuke?
Hehe, para pensar...